recadosdoaarao



Artigos da Igreja
Voltar




01/06/2023
Sínodos - uma armadilha astuciosa
Para sinalizar aos meus leitores que ainda estou vivo e muito ativo segue um pequeno trabalho.


Sínodos: uma armadilha astuciosa!

Abro esse trabalho bem resumido, com esta frase: todo aquele que deseja mudar a Sã Doutrina Bimilenar da sempre SANTA e nunca pecadora – Igreja Católica Apostólica Romana Una e Santa – fundada sob Pedro por nosso Senhor Jesus Cristo, na verdade está colocando dinamite em seus alicerces. Fujam, portanto, destes tais sínodos, porque eles são uma armadilha de satanás, a qual coloca a maioria dos clérigos no colo do anticristo. Quando te falarem em “caminho sinodal” desvie a sua rota, porque ele leva ao abismo.  Como nossos clérigos não entendem! E claro, nem se fale o povo. Afinal se os guias são cegos é com eles que o povo segue para o abismo.

A Igreja através dos tempos já usou deste tipo de reunião visando discutir, embora sem poder de mudar, assuntos de relevância para que ela siga imaculada nos caminhos de Cristo, sem se desviar da Sã Doutrina e do seu Catecismo, sem alterar as Escrituras, nem ferir a pureza dos seus ensinamentos. Entretanto desde muito tempo é que os maus tentam abusar dos sínodos para destruir a Igreja desviando a sua rota do rumo dos Céus. Exemplo?

O Papa Pio VI, na bula Auctorem fidei de 28 de agosto de 1794, condenou por sua vez oitenta e cinco proposições extraídas das atas do Sínodo jansenista de Pistóia (1786). Algumas dessas proposições do Sínodo foram expressamente qualificadas como heréticas, enquanto outras são definidas, segundo o caso, de cismáticas, suspeitas de heresia, indutoras da heresia, favoráveis aos hereges, falsas, errôneas, perniciosas, escandalosas, temerárias, injuriosas à prática comum da igreja (Denz.H, nºs. 2600-2700). Ou seja: não há como não perceber! Nenhum católico, menos ainda clérigo, se pode escusar, alegando que não percebeu que estava sendo induzido a acreditar em meias mentiras, sendo, na verdade, solertes heresias. Imagine se o Papa Pio VI tivesse aceitado  tudo isso...

Devo alertar para um detalhe que revela a astúcia dos filhos das trevas. Sempre em cada evento destes, o inimigo coloca eminentes figuras do seu time de perversos, que são os mais ousados, os que falam mais alto, os que se impõem com artifícios capciosos e que acabam assim vencendo no cansaço os bons que se submetem. Foi Jesus que nos disse: os filhos das trevas são mais espertos do que os filhos da luz. Não bastasse isso, sempre eles se encarregam no final de redigir as atas relativas ao que foi decidido, alterando propositadamente o seu sentido. Foi o que aconteceu no Vaticano II e o que aconteceu eu todos os sínodos bergoglianos.

O que seria um bom Sínodo para o nosso tempo? Seria por exemplo, um que viesse estabelecer ou restabelecer claramente a Doutrina dos cinco Mandamentos da Igreja, que são ORDENS, não meras sugestões, deixando bem claro que é pecado grave, 1 – Não assistir Missa Inteira nos Domingos e festas de Guarda; 2 – É pecado grave não se confessar pelo menos uma vez por ano; 3 – É pecado grave não comungar pela Páscoa, claro em estado de graça... Quem descumpre estas ORDENS comete sacrilégio e está afastado da Igreja. Noutro dia o Padre Paulo Ricardo foi taxativo quanto a Missa... É pecado grave faltar sem motivo justo!

Também são faltas graves não Jejuar nos dias de preceito e não pagar o dízimo. Por exemplo: se você é sócio de um Clube e ali a ordem é não fumar e a obrigação é pagar suas mensalidades, mas você fuma e não paga o devido está automaticamente suspenso da sociedade. Ou seja: se alguém não cumpre suas obrigações para com a Santa Igreja, está latae sententiae fora dela, está excluído e não mais se pode dizer católico, não pode comungar, e ponto final! Isso nunca poderá ser mudado...

O que seria um mau sínodo em qualquer tempo? Seria aquele que fosse convocado maliciosamente, não para restabelecer a imutabilidade de cláusulas pétreas, em risco de serem burladas pelos costumes e sim através de um grupo de perversos, com seu modernismo diabólico e insidioso viesse discutir como mudar essas regras da Santa Igreja – que para sempre não podem ser mudadas – tudo para se adaptar aos tempos atuais; inclusive mudar seus Dogmas de fé, o que seria um horror. Mas os perversos querem mudar até isso porque “atrapalha o ecumenismo”. E quem disse que a Igreja Católica é ecumênica? Ela é centrada em Cristo, e fora com quem não está com Ele.

Quem acompanha com atenção os movimentos do Vaticano deve saber que, bem antes da eleição de Mário o falecido cardeal Lehmann – que o inferno já tem – um eleitor e promotor deste papado, disse claramente que “o próximo papado será marcado pelos sínodos”, e somente isso o excomungou da Igreja porque é proibido. Ou seja: tudo já fora programado anteriormente por um grupo de cardeais malignos, como alguns da Alemanha em especial.

Ora, os planejadores da destruição trataram primeiro de conseguir colocar na cabeça de Mário a coroa de um santo em vida, incontestável, supremo, quase divino. Como isso ele enganou o povo católico! Assim, se este “santo” viesse a aceitar, em sua bondade, a mudança de alguma regra milenar da Igreja, ele não corria o risco da revolta do mundo católico. Porque sendo um “santo infalível” e “conduzido pelo Espírito Santo” não erraria, alto lá vade retro! Poucos o contestariam! Então os padres sinodais, não seu vulgo santo, assumiriam a culpa, se desagradasse a alguns.

Assim, e se os bispos reunidos num sínodo decidissem mudar algo por maioria, então como disse um cardeal bandido “o papa estaria disposto a aceitar!” Ou seja: o santo continuaria mais santo, apenas aprovando o que os bispos decidiram todos muito bem instruídos pelo “espírito do santo”, recaindo qualquer culpa sobre eles, mantendo ilibada e impoluta a figura do líder o “santo”. Daquele que realmente está por trás de tudo, rege tudo, determinada tudo, trama ilegalmente para conseguir seu fim, sempre maligno. Um fim planejado com fina astúcia e refinada malignidade, e isso já estava decidido criminosamente antes deste escandaloso antipontificado.

Vou resumir o que eles já tentaram mudar na Igreja através destes sínodos como o das Famílias, da Juventude e da Amazônia. 1 – Tentar impor a comunhão para divorciados e recasados ou ajuntados, sem o devido processo da Declaração de Nulidade; 2 – Tentar impor a comunhão a praticantes pares do mesmo sexo; 3 – Aceitar o sincretismo religioso, patchamama se unindo a outros credos religiões e seitas, qualquer um fora de Jesus Cristo; 4 – Tentar impor o casamento dos Sacerdotes e a quebra do celibato; 5 – Tentar impor o diaconato feminino e a ordenação de mulheres.

Ora alterar estas regras é dinamite posto em nos alicerces da Igreja e vem de satanás! E digo mais, os buracos já foram feitos, a dinamite está dentro, e os cordéis foral ligados. Falta só acender o estopim! Os inimigos não cessam de perfurar com brocas o alicerce da Igreja, são ousados e nada temem. Em pronunciamento bem antigo, Mário afirmou que seu sonho era que algum dia na Igreja, “tudo aquilo que é permitido a um homem, não seja negado a uma mulher”. Acaso ele fala em uma papisa? Como disse recentemente o bom Padre Santiago Martín: “Eles não vão parar até que tenham uma ‘papisa’ lesbiana instalada em Roma”.

Ou seja: tudo isso tem um objetivo muito sinistro por trás, porque se trata apenas fazer os furos na Doutrina, porque uma vez derribada uma regra pétrea se poderá dizer que a Igreja não é infalível e que assim TUDO pode estar errado e deve ser mudado. Vou agora tentar resumir em tópicos para que todos percebam o alcance destas operações sinistras. Qual é o verdadeiro objetivo deles, além de entregar a Igreja nos braços do anticristo?

1 – Eliminar a figura do papado, dinamitando a cadeira de Pedro, como símbolo da unidade, porque o anticristo vem como deus e quer reinar absoluto sobre todos os povos, então fora o papa... Meditem no que está em Apocalipse 13, 11 em diante, está ali claro e cristalino. Sai o precursor para abrir caminho ao seu chefe...

2 – Automaticamente se teria a unidade quebrada e poderiam então cada um dos bispos, em suas dioceses, estabelecer seus sínodos próprios e determinar como aplicariam em suas dioceses as novas normas a respeito dos cinco itens acima, entre outros, coisa que já se verifica no “caminho sinodal” da Alemanha, já em cima. Pasmem, Bergoglio não toma medidas exatamente porque o tempo corre a seu favor, ele sabe que aos pouco isso se dissemina pelo mundo todo. Ou seja, teríamos então 2998 Igrejas particulares e seus bispos... Se dizendo católicas...

3 – O passo seguinte seria dividir um pouco mais ainda porque cada sacerdote em sua Paróquia poderia também ele, a partir de encontros paroquiais estabelecerem normas diferentes, independente do seu Bispo, e além da figura mora do papa que nem existiria. Só no Brasil teríamos 12.000 mil paróquias, se dizendo católicas.

4 – Naturalmente que a partir do momento em que tudo pode ser mudado através de sínodos, fora da unidade sob Pedro, ficaria aberto o caminho para que cada católico criasse livremente a sua própria maneira de praticar sua fé – o que já está acontecendo na base – de modo que as portas do inferno receberiam bilhões de patas cegas que iriam à busca do “deus” que inventaram para si, o mesmo “deus” que é o autor deste caminho sinodal.

Eu percebo que, nestes livretos mensais que auxiliam na Liturgia das Santas Missas, sempre nas preces da comunidade o último item diz “para que vivamos o sínodo da igreja em solidariedade e fraternidade”. Ora somente estas duas palavras finais já definem a origem maligna do sínodo. Elas deveriam ser banidas para sempre de toda a Liturgia católica por são o lema da maçonaria. Ora quando eu estou numa igreja assistindo a Missa com mais 200 pessoas percebo que estou numa assembleia com mais 201 patas cegas, padre inclusive, que não fazem a mínima ideia do que quão pernicioso é esse mau caminho, que deseja uma igreja disforme e dinamitada, em frangalhos. De fato, fracionar para dividir. Mentir até quebrar a resistência dos poucos bons.

Na verdade nós temos no mundo de hoje um bilhão que se se diz católico, mas não acredito que 100 milhões o sejam católicos de fato, a maioria é pata cega, não conhece a Doutrina, não sabe o que é a Verdade, é um Maria vai com as outras, aceita o que a maioria decide, e possa muito fácil do NÃO PODE, para o quem sabe, acha bonita a imagem da patchamama, aceita que se comungue em pecado grave, não se confessa mais há décadas porque diz que não tem pecado – quando acaba de cometer mais um – e cria a igreja do seu gosto.

Ou seja, o inimigo sabe muito bem que a base já está preparada, o povo já mordeu a isca, basta que o anticristo se apresente como Deus para que todos O aceitem e sigam como se ele fosse o próprio Jesus Cristo reencarnado. E isso acontecerá porque está bem claro nas Sagradas Escrituras.

Não quero me estender mais porque preciso cuidar das minhas tarefas, que devem permanecer no silêncio, mas deixo duas frases e uma norma para definir meu sentido: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Para isso é necessária outra: “Nada há de escondido que não venha a ser revelado”. Ou seja: mostrar o que está escondido, para que conhecendo a verdade – como mostrei acima – todos possam decidir livremente, porque hoje impera a mentira. E como está no Catecismo: O segundo advento deve ser precedido da conversão dos Judeus. No mais, tudo o que diz respeito à Nova Terra e Novo Céu. Leiam o que já escrevi sobre isso. Abraço a todos!

Aarão...

 


Artigo Visto: 2349

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 4.223.704
Visitas Únicas Hoje: 294
Usuários Online: 31